Uma leitura ou uma real iniciação?

O livro Iniciação – Elisabeth Haich, da década de 80, é em si uma iniciação, uma leitura que transforma. São dois os motivos que fazem do livro um poderoso desenvolvedor da consciência, vetor do crescimento humano na senda espiritual: as informações contidas no livro, que te levam a um profundo conhecimento, e a maneira como ela está disposta, uma autobiografia na qual você cresce junto com a autora, voltando de criança até a auto-realização. Iniciação faz você lembrar da visão que tinha na infância, se comparar com a autora resgatando importante memórias e intuições esquecidas e se reconstruir a medida que a história é construída.

Initiation / Iniciação - Elisabeth Haich

Initiation – Elisabeth Haich, capa do livro em inglês.

Confesso que aceitei mais alguns comportamentos que julgava errôneos da minha infância, aceitando mais a minha criança interior. Como é uma obra muito focada na busca da verdade espiritual se identificará mais com ela mais está nesse caminho e se desenvolverá com leitura. Um grande presente nesse livro é a compreensão do termo Iniciação, tanto usado nos textos e palestras espiritualistas, que são valiosas para os Terapeutas que trabalham com anatomia sutil. Finalmente posso dizer realmente o compreendi. Àqueles que gostariam de ouvir o conceito deixo-os a curiosidade que incentiva a leitura.

Elisabeth Haich - autora de Iniciação

Elisabeth Haich, a autora

O aprendizado sobre a concentração, que está descrito mais ou menos na metade do livro, compartilho aqui: Existem três tipos de concentração ou a concentração passa por três etapas para se realizar: a inteligência, a sensibilidade e a espiritualidade. A concentração inteligente é aquela que pensa seu objeto, o analisa mentalmente, reúne adjetivos, o estuda. A concentração sensível é aquela que sente o objeto, o toca, desvenda sua temperatura; já deixou os recônditos da mente e está no mundo sensível, no mundo do corpo. A concentração espiritual é a da transcendência, você não mais precisa pensar ou sentir o objeto, você se torna idêntico a ele, encarna ele, você o é. Para compreender leia a primeira citação abaixo. O livro realmente me marcou. Iniciação na minha estante de livros vai ao lado de Autobiografia de um Iogue. É um livro guia!

Citações de Iniciação:

Sobre a concentração:

 Observe as pessoas. Há as que vivem falando sobre o amor e a bondade, sorriem sempre com doçura e em qualquer oportunidade mostram como são amorosas e boas. Mas apenas externamente! Elas usam a máscara do amor; porém, quando se trata de ações, elas se traem mostrando seu egoísmo, pois são egoístas. Há outras, ao contrário, que nunca falam sobre o bem, nem pensam em desejar ser boas; no entanto, tudo o que dizem, pensam e fazem revela o bem, pois elas são a bondade em pessoa! Quando somos, não pensamos nisso, também não sentimos isso, pois  somos o que somos, portanto não são necessárias palavras; tudo o que pensarmos, fizermos ou dissermos será a exteriorização do que somos: a revelação do próprio ser! Agora a lição mais difícil de todas: concentre-se em si mesma! Primeiro pense no que é, em seguida  sinta  o que é e, finalmente, precisa ser aquilo que é! (pág. 207)

Sobre os doentes psicológicos que parecem pessoas saudáveis:

Quantos doentes há que, por terem um comportamento considerado normal, não trazem no rosto a marca de alguma doença mental? Nessas condições, eles iludem as pessoas ignorantes; às vezes até ocupam boa posição social e se casam com pessoas crédulas e sem instrução; em seguida, levam a família e o meio em que vivem – eventualmente até grandes empreendimentos ou mesmo países – à destruição.

Sobre escolher receber a Iniciação:

“Anteção!”, disse a voz interior, “cuidado com grandes palavras! ‘Participar’ significa dever e sacrifício. Isso representará o fim da sua imperfeição! Não poderá esquecer-se, nem por um minuto, de que terá de ficar alerta para não dar nenhum passo que contrarie as leis eternas. Todas as tentações das quais não saiu vitoriosa até agora voltarão a incomodá-la, surgindo renovadas em sua vida, e ai de você se não as dominar. Nenhum mortal pode brincar com as forças divinas. Nunca poderá usar as forças que obtiver como ajudante para proveito pessoal. Nunca poderá ter sentimentos pessoais ou observar alguma coisa do seu ponto de vista como as demais pessoas; isso é melhor do que fracassar como colaboradora. Estou avisando.”

Sobre a metáfora da vida de Cristo

Uma pessoa que se identifique com o corpo em sua consciência, está em íntima escuridão e se parece com um estábulo de animais – os instintos físicos – que moram nele. Nesse estábulo e nessas trevas – que se parecem com a escuridão noturna – nasce a criança divina, a consciência do eu. Dois tipos de pessoas reconhecem a criança divina e se inclinam diante dela: as pessoas simples, analfabetas, sem instrução, que ainda não conhecem as dúvidas intelectuais e que vivem em uníssono com a natureza, como os pastores, por exemplo; e os sábios e os iniciados que já trilharam o longo caminho intelectual, que já superaram sua anterior propensão rumo à esperteza racional e que aprenderam a observar as coisas com sua visão interior, como fazem os homens esclarecidos e os místicos no oriente.

Sobre a verdade e as palavras

[...] Exatamente o mesmo acontece com a verdade. Com quanto menos palavras nós a dissermos – isto é, a cobrirmos para torná-la visível -, melhor poderemos reconhecê-la. Mas por expressarmos a verdade com palavras – cobrido-a com elas -, ao mesmo tempo impediremos que a própria verdade se vista diretamente, em sua nudez, em sua verdadeira essência. Para homens que não podem ver a alma, as palavras são a única possibilidade de se entender. No entanto, eles também nunca vêem o que pensam, o que desejam dizer aos outros, mas apenas palavras sobre isso.

Álcool, o estimulo artificial

A sensação de bem-estar ligada ao estado mais elevado de consciência é conhecida por toda pessoa que tem o dom da intuição, e por todos os que bebem vinho ou usam outros estimulantes e estejam procurando a mesma sensação de bem-estar nervoso. Mas o estímulo artificial sempre é seguido por uma depressão que arremessa a pessoa a um nível mais baixo do que aquele em que ela estava antes.

Mais sobre a autora (em inglês).

Onde encontrar esse livro:
www.estantevirtual.com.br/q/Elisabeth-Haich-iniciacao

Initiation / Iniciação - Elisabeth Haich

Iniciação – Elisabeth Haich (Romance). A história apaixonante de uma mulher e de suas reencarnações, desde a época em que era sacerdotisa no Antigo Egito até os tempos atuais. Imagem de capa: Ré e Osíris, como um único deus, apoiados por Ísis e Néftis.